sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

Verdadeira Sabedoria X Falsa Sabedoria




Sermão em Tg 3.13-18



O Senhor Jesus Cristo disse certe vez: “... a sabedoria é justificada por todos os seus filhos”. Lc 7.35. Com certeza, na sua carta, o servo de Jesus Tiago está lembrando o ensino explícito do Mestre. No trecho em questão, Tiago procura por freios na pretensão de alguns em tornarem-se mestres. Em todo o tempo, ele lembrar os crentes das responsabilidades e perigos do falar, advertência importante, principalmente, àqueles que ambicionavam serem vistos como mestres. Agora, ele chama atenção dos crentes, especialmente dos “aspirantes” a líderes, para a natureza da verdadeira sabedoria – algo exigido de todos, mas especialmente dos mestres! Certamente, lembrando e aplicando o que o Sr. Jesus Cristo já falara, o apóstolo Tiago mostra que: A Sabedoria é Classificada pelos seus Frutos.

Primeiramente, vemos que a sabedoria falsa produz maus frutos (3.13-16):“13 Quem entre vós é sábio e inteligente? Mostre em mansidão de sabedoria, mediante condigno proceder, as suas obras”. Sabemos que o público ao qual Tiago escreve era constituído de pessoas simples, pobres, oprimidas e perseguidas. Eram pessoas humanamente desvalorizadas. O que era um problema, visto que o ser humano gosta de sentir-se valorizado. Para esses crentes, o único meio social onde eles encontravam algum valor era, sem dúvida, a igreja. Ora, se é verdade que gostamos de sentirmo-nos valorizados, é igualmente verdade, que por causa do pecado, temos a tendência de querermos ter um pouco de glória para nós! Uma glória que não é divina, mas pecaminosa! O desejo de nos vermos um pouco menor do que Deus, e maiores do que todos os demais homens!  Deste modo, aqueles que nunca foram nada diante do mundo ou, então, aqueles que perderam todo o seu crédito e espaço, por causa da sua fé em Jesus, eram tentados a se enfatuarem no meio do Povo de Deus. No seu desejo, pecaminoso de marcarem espaço, de engrandecerem os nomes, de serem tidos por sábios, procuravam serem mestres e líderes da igreja, o que não dá certo se não procede de Deus! Naquele momento havia muitos dizendo: “eu tenho chamado, eu posso instruir os irmãos, eu sou sábio!” Por isso, o apóstolo diz: “você se acha sábio? Então demonstre em seus frutos, no proceder, na vida, não apenas em palavras; mas com coerência!” Como já vimos o apóstolo Tiago lembrar a palavra do Sr. Jesus Cristo que diz que: “a sabedoria é justificada por todos os seus filhos” Lc 7.35. Devemos ter em mente que na Bíblia, sabedoria não é mero conhecimento mas a capacidade prática de viver! O que não envolve necessariamente estudo! Também não deve ser confundido com esperteza, pois nem todo esperto é sábio! Um bom exemplo disso é o Diabo! E qual fruto produz a esperteza do Diabo?

14 Se, pelo contrário, tendes em vosso coração inveja amargurada e sentimento faccioso, nem vos glorieis disso, nem mintais contra a verdade. 15 Esta não é a sabedoria que desce lá do alto; antes, é terrena, animal e demoníaca. 16 Pois, onde há inveja e sentimento faccioso, aí há confusão e toda espécie de coisas ruins.”  O crente mostra o que é pelos seus frutos, ele mostra amor pelos seus frutos, ele mostra sabedoria pelos seus frutos! Então, se alguém almeja liderar e/ou ensinar, a evidência para tal é a sua sabedoria, ou antes, o fruto que ela produz. Se o fruto é podre, então tal sabedoria não vem de Deus, consequentemente, não há chamado. Tiago combate os sentimentos carnais que motivavam alguns crentes a desejarem serem mestres: inveja e facção! Eles queriam ser mestres, pois invejavam os verdadeiros mestres, queriam seguidores em torno de si.  Por causa disso, Tiago vaticina: “Se vocês querem ser sábios, por inveja e partidarismo, nem se orgulhem, nem se enganem. Vocês podem até ser sábios, mas não segundo Deus, mas segundo a sua natureza pecaminosa e animal e segundo a astúcia do Diabo, pois em vocês há inveja e partidarismo, o que produzirá confusão e coisa ruim!”

Muitos hoje tentam se tornarem líderes da Igreja do Senhor Jesus Cristo sem a unção que vem do Santo, o fazem por egocentrismo, ou por partidarismo, ou por narcisismo. Os resultados vemos em nossa volta e são: divisões, intrigas e escândalos. As palavras do servo do Senhor Jesus Cristo nunca foram tão atuais.

Em segundo lugar, vemos que a sabedoria verdadeira produz bons frutos (3.17-18): “17  A sabedoria, porém, lá do alto é, primeiramente, pura; depois, pacífica, indulgente, tratável, plena de misericórdia e de bons frutos, imparcial, sem fingimento”. Tiago mostra a verdadeira sabedoria que deve ser buscada pelos crentes e que todo aquele que é chamado por Deus para a liderança e ensino deve possuir -  “a sabedoria do alto”. A expressão chama atenção Àquele que a dá, Deus, o Alto e Sublime (Is 57.15); o que contrasta com a sabedoria dos pretensos mestres que já foram repreendidos, cuja sabedoria era “terrena, animal e demoníaca”.

Sendo verdade que a sabedoria terrena, animal e demoníaca é incentiva pela inveja e facciosismo e seus frutos são ruins, dentre eles a confusão. Por outro, lado a sabedoria que procede de Deus é totalmente santa quanto a sua natureza e frutos. Tiago mostra que ela é:
a)    Pura – a palavra se refere à pureza moral. Aqueles que possuem a sabedoria de Deus são moralmente irrepreensíveis. Vemos na Bíblia que exemplos como o de José e Daniel, sábios segundo Deus que permaneceram incontaminados em meio a uma geração má e perversa!
b)    Pacífica – quem tem a sabedoria do alto, não viverá a contender, a semear discórdia e criar “partidos”, pois a mesma é pacífica – gera paz!
c)    Tratável­ – quer dizer aberta ao diálogo.
d)    Plena de misericórdia e de bons frutos – cheia de capacidade para se compadecer da miséria do próximo, bem como repleta de frutos, ou seja, não fica apenas nas palavras, mas se concretiza em obras!e)    Imparcial – “a palavra literalmente significa alguém incapaz de fazer uma distinção; daí a idéia de imparcialidade no julgar” (Rev. Augutus Nicodemus). Um sábio é imparcial julgar retamente sem olhar para a aparência externa, status e posses.
f)     Sem fingimento – ou seja, sem hipocrisia, sincera. A verdadeira sabedoria não condiz com a falsidade e mentira.

 18 Ora, é em paz que se semeia o fruto da justiça, para os que promovem a paz.” Tiago usa uma imagem muito comum na Bíblia para designar a função dos pregadores da Palavra – a da semeadura!  O pregador da Palavra é como um agricultor que lança a semente ao solo. A semente é a Palavra de Deus. O verdadeiro mestre, e podemos dizer o verdadeiro crente, que prega com sinceridade a Palavra de Deus, a prega em paz, para colher a paz! Pelos frutos se conhece a árvore. O verdadeiro ministério escolhido por Deus será frutífero naquilo que intentar pois terá a sua unção e confirmação e será conhecido por todo o povo de Deus.

Concluindo essa reflexão, quero novamente lembrar as palavras do Sr. Jesus Cristo: “a sabedoria é justificada por todos os seus filhos”. Lc 7.35. Pergunto: Temos sido sábios? A palavra de Deus nos recomenda a sabedoria! Quais os frutos da nossa sabedoria? Será que temos frutos dignos daquilo que professamos?


Rev. Andriel Cleber Santos de Araújo




3 comentários:

http://levealuz.blogspot.com/ disse...

Devemos buscar a sabedoria de Deus é muito importante lermos livros e postagens mas o primordial é ler e compreender as escrituras sagradas e isso só Deus nos concede parabéns por seu belo trabalho

Antonio Batalha disse...

Ao passar encontrei seu blog, li algumas coisas e fiquei ciente de que o autor é um vaso nas mãos de Jesus,creio que é algo importante ser-se rendido e submetido ao serviço do Mestre, é bom encontrar blogs onde o autor não tenha medo de desmascarar o pecado venha ele de onde vier.Sei que ninguém é perfeito, mas o que caminha para a perfeição deixa atrás de si o que impede de ser perfeito.
Deixo a paz de Jesus e minhas saudações.
Ps. Gostava que pertencesse aos meus amigos e seguidores na Verdade Que Liberta.

Clodoaldo Brunet disse...

Parabéns por este blog! Muito edificante ainda mais pelos sermões dentro dos principios ensinados pelo STNe. Filho, quem é notado é anotado!